Publicado por: blogdamariazinha | 06/08/2012

O Brasil nas Olimpíadas de Londres 2012

Esse é o quadro de medalhas final de Pequim em 2008, até o 34º lugar. Será que em Londres conseguiremos, ao menos, superar o resultado de Pequim em 2008? A verificar até o dia 12 de agosto.

Vejo duas visões bastantes díspares sobre a situação do Brasil nas Olimpíadas de Londres 2012. Por um lado, temos aqueles que apontam os bons resultados do Brasil em um ou outro esporte e aqueles dois especiais ouros que conquistamos até o momento, de outro temos aqueles que apontam nosso fracasso em relação a inúmeros países menores.

Acho que ambas as críticas estão corretas. Tanto a que enfatiza a conquista, quanto a que destaca a fraqueza. Como assim?, perguntarão alguns. Está querendo agradar todo mundo? Claro que não. Vamos ao que penso.

Acho mesmo que Sarah Menezes, Arthur Nabarrete Zanetti, Thiago Pereira, Robert Scheidt, Bruno Prada, Cesar Cielo, Rafael Silva, Mayra Aguiar e Felipe Kitadai, nossos medalhistas, e tantos outros que ficaram em quarto, quinto, ou em outras posições, merecem todos os louvores pelas suas atuações.

É mesmo de se espantar que – com o pouco apoio que tem – a maioria de nossos atletas consiga chegar a qualquer Olimpíada ou outra competição de caráter internacional. Falta-nos apoio de instituições públicas e das empresas privadas.

Esse apoio, quando existe, é via de regra, ainda, direcionado a alguns poucos atletas de elite que conseguem, por seu esforço pessoal, se destacar.

Falta uma política de promoção do esporte em larga escala e de identificação, desde as etapas iniciais desse processo de formação, daqueles que tenham potencial para se tornarem atletas de ponta. Por isso, claudicamos, por isso temos dificuldades para a renovação a cada ciclo olímpico.

Por outro lado é vergonhoso vermos o Brasil em 21º lugar no quadro de medalhas (posição conferida às 15h40 do dia 6 de agosto de 2012), atrás de países como: Cuba, Bielorrúsia, Romênia, Dinamarca, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Holanda, Coreia do Norte, Hungria e Cazaquistão. Veja que aqui nessa lista temos países com ótima qualidade de vida, como a Dinamarca, Austrália e Nova Zelândia e Holanda, mas são países com população muito pequena, incomparável à brasileira, mas nesses países existe política de esporte sendo realizada há muitos anos. Situação ainda pior é vermos países pobres como Cuba, Coreia do Norte, Cazaquistão, África do Sul, Bielorrúsia, Hungria e Romênia, em situação melhor que a de nosso país. Como se pode explicar isso? Ao meu juízo só a falta de qualquer política para o desenvolvimento de práticas esportivas de alta qualidade pode esse tipo de coisa justificar.

Por isso, penso eu, nossa posição é, ao mesmo tempo, boa e ruim nas Olimpíadas de Londres 2012.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: