Publicado por: blogdamariazinha | 30/05/2012

Operação Peculatus desvenda mais uma rede criminosa no ES

O delegado da Polícia Civil, responsável pela Delegacia de Defraudações e Falsificações, Gílson Gomes, foi um dos presos na Operação Peculatus. Vale lembrar que o delegado já foi deputado estadual e tem contra si uma série de acusações na Justiça por supostos crimes que cometeu naquela posição.

A Polícia federal cumpre 16 mandados de prisão e 19 de busca e apreensão, é a Operação Peculatus.

O significado de Peculato – para quem, por acaso, não saiba – é, segundo o Dicionário Online de Português, “s.m. Figura delituosa prevista no Código Penal, que consiste em furto ou apropriação de bens ou valores públicos.” (fonte: http://www.dicio.com.br/peculato/).

Essa Operação já levou preso hoje, entre outros, o delegado da Polícia Civil Gílson Gomes, da Delegacia de Defraudações e Falsificações (supremas ironias acontecem nesse estado que tem o nome da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade), Maria Léa, escrivã da Polícia Civil e que trabalhava com Gomes na Delelegacia, um servidor da Caixa Econômica Federal, um contador e vários estelionatários.

A quadrilha estava envolvida com fraudes contra a Caixa Econômica e com o desvio de R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) de fraudes no pagamento por meio de cartões eletrônicos num posto de gasolina da Grande Vitória.

Esse envolvimento de policiais civis capixabas com a criminalidade – mais uma vez constatado por essa Operação – havia sido, no início do ano passado, objeto de atenção por parte da cúpula da Polícia Civil que então tomava posse. Depois as coisas se acalmaram como que para sinalizar que os problemas na PC-ES estivessem resolvidas, não estavam, como em podemos perceber.

Isso demonstra – pela enésima vez – como a criminalidade ainda se encontra presente no aparelho público capixaba, apesar de todos os discursos triunfalistas – e falsos – que foram feitos nos últimos anos.

A verdade é que esse monstro – a corrupção – nunca deixou de estar presente em nosso estado, foi apenas “reordenado” e “acomodado”, o combate a ele, de forma séria, efetiva, eficiente e continuada, ainda está por se fazer.

Um primeiro passo – para além dessas ações pontuais, que, claro, têm sua importância – é reconhecer o problema. Enquanto ficarem os poderosos do nosso sistema político reprisando esse discurso vazio de que a “onça foi derrotada”, sem reconhecer que ela ainda existe e – como uma hidra – tem várias cabeças e corpos, ficaremos sendo sempre surpreendidos por novos casos que nos apresentam continuamente a sua sobrevida.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: