Publicado por: blogdamariazinha | 29/09/2011

Imoralidade Pública Explícita: agora Câmara livra Valdemar Costa Neto (PR-SP)

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, ou Conselho de Estética e Decoração, na feliz definição do deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), acha que nem nvestigar as denúncias que pesam sobre o senhor Valdemar Costa Neto, que o ligam ao escândalo que varreu a cúpula do Ministério dos Transportes, deve. Mais um ponto pra impunidade. Depois do caso Jaqueline horRoriz (PMN-DF), agora essa. vergonha total.

Para a Câmara dos Deputados, que deveria se chamar “Câmara dos Inocentes”, não há naquela Casa ninguém que cometa qualquer erro. A regra lá é deixar tudo como está, pra ver como é que fica. Assim, venhamos e convenhamos, fica difícil estimular os cidadãos de bem de nosso país a acreditar e participar da política.

Evidente que não são todos os deputados daquela Casa que se metem em tramoias, escândalos, falcatruas e assemelhados, mas a maioria, silenciosa e conivente, ligada a tal base governista, impede o andamento de qualquer investigação sobre possíveis erros cometidos antes, durante e depois de mandatos legislativos.

Como muito bem definiu o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados parece mais um “Conselho de Estética e Decoração”. Uma pena, uma vergonha, um absurdo.

O deputado Fernando Francischini (PSDB-PR) bem que tentou. O relatório que apresentou ao tal Conselho de Ética (ou Estética e Decoração) pedia a continuidade das investigações, das denúncias apresentadas por PSOL e PPS, que envolviam o senhor deputado federal pelo PR de São Paulo, Valdemar Costa Neto (lembram dele no escândalo do Mensalão? Ou será no dos Sanguessugas?, são tantos os escândalos em que esse pessoal da base governista se mete que fica difícil lembrar), com o escândalo do Ministério dos Transportes, que levou ao afastamento de boa parte da cúpula daquele órgão.

O Conselho de Estética e Decoração, ops Ética, da Casa, no entanto, não aceitou verificar o caso e sepultou qualquer investigação pelo placar de 16 x 2 a favor de Valdemar costa Neto, esse “anjo de candura” de parlamentar.

O que move a base governista para um comportamento tão abjeto é o medo de que qualquer investigação possa respingar em mais de seus membros e levar a uma bola de neve. O deputado Assis Carvalho (PT-PI) foi claro o suficiente ao afirmar que “esse relatório não dá segurança suficiente para condenar um companheiro”. Duas questões se levantam: quem falou em condenar? O relatório falava em investigar (será que o deputado já sabe que se investigar vai ter que condenar?). A outra questão é que se ele acha Valdemar Costa Neto (PR-SP) um seu companheiro pode ficar feliz e a vontade, o companheiro é mesmo dele, da base aliada do governo e do governo, quem defende a ética não quer mesmo ser companheiro de gente assim.

É absolutamente vergonhoso que a Câmara dos Deputados, num momento em que a sociedade brasileira se posiciona crescentemente contra a corrupção e a sua principal causa, a impunidade, adote uma posição como essa. Só mesmo com muita pressão sobre aquela Casa para fazer que processos como esse se mexam. O caso de Jaqueline horRoriz (PMN-DF) já mostrou o que essa maioria governista é capaz de fazer. Esse é mais um episódio de imoralidade pública explícita que nos proporcionam suas excelências.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: