Publicado por: blogdamariazinha | 17/09/2011

O “Novo Espírito Santo” nos revela uma de suas realizações de oito anos: fomos o último colocado no ENEM

Temos uma bomba nas mãos, a péssima situação de nossa educação pública.

Uma coisa a qual devemos nos acostumar na democracia é a cobrança dos governantes por aquilo que fazem ou não, que realizam ou não, não interessam discursos e boa vontade, dessa, como ensina o ditado popular, o inferno também está cheio.

Num ambiente de liberdades públicas esse papel de cobrança é exercido fundamentalmente pela imprensa, pelos partidos políticos, pelos parlamentares (especialmente os de oposição), mas também pelos cidadãos, especialmente nessa era de comunicação acelerada e instantânea que vivemos. Esse blog, sempre, se propõe a isso.

Os resultados do ENEM foram claros. O Espírito Santo (veja tabela abaixo) ficou em último lugar na Federação, fomos, isso mesmo, o 27º colocado.

A nossa média, entre as notas de escolas públicas e privadas, foi de 544,50 pontos. Se considerássemos somente as escolas privadas estamos bem melhor, ficaríamos em 11º lugar, mas as notas das escolas públicas foi muito baixa e, claro, nos puxou para a “rabeira” do ranking.

Espantoso que os gestores de políticas públicas de educação dos oito anos do “Novo Espírito Santo” não tenham sido questionados sobre o assunto. Espantoso também que o consultor – que agora orienta, segundo li em algum lugar na imprensa, até outros estados da Federação – não tenha sido questionado sobre as suas impressões para tão pífio resultado.

Eles, o governador, principalmente, e os secretários de educação de seu período, são os responsáveis por isso. Tiveram oito anos para fazer algo. Oito anos para construir algo além de belos prédios. Oito anos para construir um projeto de educação. Como podemos, objetivamente, mensurar, fracassaram redondamente. Todo o discurso enfático, e cheio de empáfia, de igualdade de oportunidades, se perde na evidência de que, sobre a base fundamental para isso, a educação, nada de bom foi feito.

Por isso, tem que ser responsabilizados. Não podem passar impunes da vergonha de não apresentar nada de bom em sua ação. O pior é perceber, como temos acompanhado desde o início desse ano, que essa falta de resultados não se restringe somente ao setor da educação, mas também à saúde e à segurança pública, entre os mais destacados por falta de quaisquer resultados minimamente decentes.

No entanto, a coisa ainda pode ficar pior, infelizmente, pois o atual secretário de educação, senhor Klinger Barbosa, se nega a reconhecer o fracasso, e, querendo tapar o sol com a peneira, fica a afirmar que “nosso resultado não é satisfatório, mas não podemos compará-lo com o de outros estados. Aqui todos os alunos fazem a prova. No resto do país, não” ou que “a maioria das escolas públicas do Espírito Santo melhorou os seus índices em relação a 2009”. Sim fomos de resultados ridículos para lúgubres.

Essa disposição justificadora pode nos indicar acomodação ou uma ação aquém do necessário para o tamanho do problema que temos. Do senhor Klinger e do senhor Renato Casagrande, como dos anteriores, também devem ser cobrados resultados. O que já fizeram ao longo desses nove meses de governo? Já possuem, ao menos, um diagnóstico do problema? Acesso dos alunos? Qualificação dos professores? Salários?…

Aqui, nesse belo pedaço do Brasil, vamos mal, muito mal, naqueles que são quesitos mais que fundamentais para uma coisa chamada qualidade de vida. Nisso, ninguém pode esconder, o tal “Novo Espírito Santo” não chegou nem perto.

MÉDIA DOS ESTADOS NO ENEM 2010
(escolas com mais de 75% de participação)

UF Geral Privadas Públicas
1º) RJ 628,46 630,82 607,16
2º) MG 620,87 632,67 569,97
3º) SP 619,28 626,05 587,48
4º) DF 615,97 635,38 544,79
5º) GO 613,80 617,59 583,06
6º) BA 605,69 613,94 551,42
7º) PA 597,56 598,49 586,33
8º) AC 596,80 596,80 N/A (*)
9º) PI 594,81 607,99 525,39
10º) PE 591,80 594,05 580,29
11º) MS 588,94 603,04 558,72
12º) PR 585,85 598,60 538,31
13º) RN 584,85 597,54 524,88
14º) AL 584,46 592,96 520,7
15º) RS 584,01 617,83 556,87
16º) MT 579,82 587,01 541,09
17º) PB 579,11 586,50 537,83
18º) MA 577,31 596,31 523,35
19º) SE 576,7 594,33 534,38
20º) CE 576,05 601,81 516,31
21º) SC 570,97 612,82 542,75
22º) RO 569,28 583,29 543,59
23º) RR 567,43 587,02 538,05
24º) TO 565,85 620,59 529,35
25º) AP 563,64 563,64 N/A (*)
26º) AM 562,99 593,12 531,88
27º) ES 544,50 604,23 514,8
(*) Não teve escolas públicas com mais de 75% de participação computadas pelo MEC


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: