Publicado por: blogdamariazinha | 25/08/2011

Mário Negromonte, ministro das cidades de Dilma, se acha líder de uma famiglia e pratica a prevaricação e a chantagem

Não adianta Dilma manter uma cadeira de distãncia do senhor Negromonte, se quer se afastar dele e do que falou, além de suas práticas já denunciadas, só resta a demissão imediata desse senhor.

As coisas que acontecem nesse governo Dilma Rousseff, no campo da corrupção, da fraude, da improbidade, da prevaricação, do conflito de interesses e de tudo mais nesse mundo da falta de ética pública e privada, estão, realmente, passando qualquer “recorde” anterior e atingindo as raias do absurdo, kafkiano não serve mais para designar a situação.

Talvez liberado pela declaração presidencial de que a tal “faxina ética” não é meta de governo, na verdade, como tenho dito aqui, penso que nunca foi, o senhor Mário Negromonte, ministro das cidades, um dos feudos que Lula destinou aos partidos aliados, nesse caso o tal Partido Prevaricador, ops, Partido da Propina, ops errei de novo, Partido Progressista (PP), e que Lula manteve, trocando apenas o vassalo de Mário Fortes para Negromonte, esse senhor, pressionado pelos seus “irmãos” deputados, soltou o verbo e declarou coisas em alto e bom som que, ao meu juízo, demandam investigação do Ministério Público e da Comissão de Ética Pública do governo Federal.

Segundo o senhor ministro, avisando da eminente “batalha pelo controle do ponto de venda”, qual um capo do PP, “então vai o meu alerta: em briga de família, irmão mata irmão, e morre todo mundo. Por isso que eu disse que vai virar sangue”.

Não satisfeito o senhor Negromonte, que parece conhecer bem o partido do qual faz parte, continuou e afirmou que “não devemos expor as vísceras. Imagine se começa a vazar o currículo de alguns deputados [do PP]. Ou melhor, folha corrida. Só quem perde com isso é o partido.”

Ainda com o pensamento incompleto o senhor Negromonte revela então o “profundo” pensamento presidencial sobre a questão ao dizer que “se a gente continuar dividido, o que vai acontecer é que ninguém vai ficar aqui: a presidente vai dar [é assim mesmo senhor?] um ministério para um terceiro nome.”

Nas três falas citadas acima, podemos, então, perceber que:

1 – O senhor ministro Negromonte se imagina membro de uma famiglia mafiosa onde todos são “irmãos”,

2 – O senhor ministro Negromonte, além de explicitamente chantagear o seu partido, como agente político, ao meu juízo, comete claro ato de prevaricação ao não denunciar o que sabe sobre as tais “vísceras e folhas corridas”, e

3 – O senhor ministro Negromonte, demonstra, claramente, a forma de negociação de montagem do ministério lulo-dilmista ao falar em “doação” de ministério. Ato falho? Não importa, revela a verdade do funcionamento do sistema.

Precisará de que a senhor Dilma Rousseff para tirar esse senhor do ministério? Se não o faz é porque concorda e assina embaixo todas as declarações do senhor seu ministro.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: