Publicado por: blogdamariazinha | 22/06/2011

Eu apoio as mulheres sauditas

Eu torço pelo sucesso das mulheres sauditas em conseguir o direito básico de dirigir. A partir daí outros direitos fundamentais e universais podem ser conquistados. Parabéns mulheres.

País dos mais atrasados do mundo, apesar das riquezas que tem, a Arábia Saudita é também o centro principal de refúgio para ditadores e corruptos da região. Idi Amim (lembram dele?) se refugiou lá, também lá está o corrupto ex-presidente tunisiano bem Ali (Uma ideia rápida: será que eles não aceitam o Sarney por lá?).

Mas não só isso caracteriza o conservadorismo saudita. É de lá, segundo aprendi com um amigo, o centro da visão conservadora – ou fundamentalista, se quiserem – do Islã: o wahabismo. (veja mais em http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en%7Cpt&u=http://www.pbs.org/wgbh/pages/frontline/shows/saudi/analyses/wahhabism.html)

Não foi por acaso, portanto, que o senhor Osama Bin Laden se tornou um “radical livre” do Islã. Mesmo tendo se virado contra a monarquia saudita, que se pretende a guardiã da interpretação do Islã, foi por lá que ele começou a trajetória que o levou ao Afeganistão e a Al-Qaeda.

É por meio das madrassas, as escolas religiosas do Islã, que se divulga mundialmente o ideário conservador da religião muçulmana. Essas escolas, sediadas, inclusive nos Estados Unidos, são, muitas vezes, financiados pelos petrodólares sauditas, e eles, como o ouro negro daquele país, são abundantes.

Na Arábia Saudita as mulheres estão em situação de terrível submissão. Nem mesmo dirigir carros elas podem (http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/mulheres-protestam-para-assumir-o-volante-na-arabia-saudita). Me lembro que alguns anos atrás vi uma matéria em jornal que reportava o mesmo tipo de situação que vemos agora: mulheres presas por dirigir. Isso é uma forma de protesto contra a absurda situação de exclusão a que são submetidas.

Na época, fazem alguns anos, não lembro quantos, algumas dessas mulheres foram obrigadas por seus maridos, como forma de punição – depois de serem libertadas da delegacia – a voltarem a pé para casa. Devidamente acompanhadas por criados, pois mulheres não podem andar sozinhas nas ruas naquele país.

Para nós esse tipo de protesto pode ser visto como uma coisa menor, talvez até por alguns como uma coisa “burguesa”. Seja como for, seja o que for, esse é um primeiro e significativo protesto que acontece nesse país depois de vários anos.

Talvez, e apenas talvez, venha na esteira daquilo que já assistimos na Tunísia e no Egito, e que estamos assistindo na Síria, no Iêmen e no Bahrein. Seria, com toda certeza, uma lufada de ar no islamismo se a Arábia Saudita promovesse algumas mudanças na sua absurdamente fechada sociedade. As mulheres podem começar as coisas por lá, eu, com toda certeza, apoio esse movimento.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: